Mega-Sena acumula e vai pagar R$ 70 milhões no sábado

O concurso 2.157 da Mega-Sena não teve acertadores no prêmio principal.

Os números sorteados foram: 31 – 33 – 34- 35 – 39 – 48.

A quina – cinco números – teve 188 ganhadores, cabendo a cada um deles R$ 21,38 mil.

A quadra – quatro números – registrou 8.779 acertadores. Cada um ficará com R$ 653,98.

O próximo sorteio da Mega-Sena será no sábado (8). A previsão é de um prêmio de R$ 70 milhões.

As informações são do site da Caixa Econômica Federal.

Coronel Azevedo propõe título de cidadão norte-rio-grandense para Bolsonaro

O deputado estadual Coronel Azevedo (PSL) protocolou na Assembleia Legislativa um projeto de resolução para conceder título de cidadão norte-rio-grandense para o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Na sessão ordinária desta quarta-feira (5), o deputado justificou o pedido citando ações do presidente que beneficiam o Estado.

“O Rio Grande do Norte será priorizado pelo Governo Federal, que anunciou a instalação no nosso Estado de uma escola militar. Através da Petrobras, o Rio Grande do Norte receberá investimentos de R$2,6 bilhões”, ressaltou o deputado, que leu em plenário um histórico sobre o presidente.

De acordo com o artigo 330 do Regimento Interno, a concessão de títulos e honrarias pessoais depende de projeto de resolução assinado por um terço dos deputados e aprovado por dois terços deles. A tramitação do projeto, conforme o regimento, é realizada em caráter secreto.

CategoriasRN

Durante sabatina, Tomba Farias diz ao secretário Cipriano Maia que “está perdendo a esperança” que apareça um governador para resolver o problema da saúde do RN

Durante sabatina do secretário estadual de Saúde Pública, médico Cipriano Maia, na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Tomba Farias (PSDB) fez duras críticas com relação ao cenário caótico da saúde pública estadual. O parlamentar destacou que, por conta da ineficiência do serviço público de saúde, os parlamentares estão fazendo um papel que não é da responsabilidade deles, atendendo demandas de pacientes nas mais variadas especialidades da medicina. “Estou perdendo a esperança de que algum dia apareça no Rio Grande do Norte um filho de Deus, governador do Rio Grande do Norte, que diga eu vou pelo menos melhorar a saúde do estado”, criticou.

Tomba explicou que diariamente se depara com pessoas que, por não receberem atendimento médico adequado por parte do estado, terminam procurando os deputados para resolver questões de saúde. O parlamentar revela que na semana passada um paciente da cidade de Santa Cruz quebrou o braço e passou oito dias no corredor do hospital Walfredo Gurgel. “Só saiu de lá porque mandei fazer a cirurgia”, disse o deputado, acrescentando que nesta terça-feira, dia 04, desembolsou a quantia de R$ 3.200, 00 para custear exames de três pessoas com câncer.

Destacando que os deputados estão empenhados em ajudar a buscar uma solução para a crise da saúde, Tomba Farias propôs a realização de uma reunião entre os 24 parlamentares e a governadora Fátima Bezerra, para que se veja a forma de garantir mais recursos para que a Secretaria de Saúde possa “dar um alento” na situação.

Na reunião da Comissão de Saúde, o parlamentar também alertou para atual situação que os pacientes estão vivenciando nos hospitais do Rio Grande do Norte. “Essa é uma foto de uma paciente que eu recebi que já perdeu o dedo, essa perna já tá praticamente perdida; e ela foi ao hospital Ruy Pereira e examinaram ela e mandaram para casa por que não tinha como ficar lá, nem tinha como fazer amputação lá, essa pessoa tá em casa na cidade de Pedro Velho. Não se tem a condição de fazer a amputação, mandaram para casa; isso aí me preocupou muito, não estou aqui querendo concertar as coisas, o problema da saúde é uma coisa muito grave”, alertou.

O deputado também relatou o atual quadro em que os pacientes da saúde estadual estão enfrentando para realizar o exame de cateterismo. “Sobre o problema do cateterismo, eu não vou ficar procurando o secretário a vida toda para ficar pedindo as coisas. Eu estou com um paciente que tá na fila e não consigo fazer, mandei para Currais Novos, o paciente fez a consulta particular e vou tentar operar ele lá, estou aqui apenas dando exemplo de como tá funcionando as coisas”, questionou.

Mulher que acusa Neymar quebra o silêncio: ‘Fui vítima de estupro’

O Globo.

A mulher que acusa o atacante Neymar de estupro falou pela primeira vez sobre o caso nesta quarta-feira, em entrevista ao SBT. E indicou que o jogador iniciou as agressões que teriam culminado em estupro por se negar a usar preservativo.

Najila Trindade Mendes de Souza, que tem depoimento marcado para esta quinta-feira, na 6..a Delegacia de Polícia da Mulher, em São Paulo, quebrou o silêncio antes e deu detalhes sobre os encontros com o jogador em um hotel em Paris. Segundo ela, o jogador passou passagens e hotel para a mulher ir para a França.

– Fui vítima de estupro. Agressão juntamente com estupro – disse ao SBT.

De acordo com a suposta vítima, durante a relação sexual, Neymar se recusou a usar preservativo e se irritou. Ainda segundo a mulher, foi quando começaram as agressões contra ela.

Presidente Jair Bolsonaro anuncia instalação de escola militar em Natal ainda em 2019

Agora RN.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira, 4, em Brasília, a instalação de um colégio militar em Natal. Ainda em 2019, segundo ele, a capital do Rio Grande do Norte será uma das três cidades brasileiras contempladas com a nova estrutura de ensino.

O anúncio da unidade militar ocorreu durante a assinatura da declaração de interesse social da atividade em salinas em oito municípios potiguares (Mossoró, Macau, Areia Branca, Grossos, Pendências, Areia Branca, Guamaré e Galinhos). As áreas são destinadas à produção do sal marinho.

“Estive conversando com o ministro da Defesa [ Fernando Azevedo e Silva]. Decidimos ultimar o colégio militar em três capitais brasileira, e uma delas será Natal”, disse Bolsonaro. No entanto, o presidente não delimitou prazos para início da operação da nova unidade escolar.

Segundo o Ministério da Defesa, o Brasil tem hoje 13 as escolas militares. São aproximadamente 13 mil alunos do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do médio. O sistema de ingresso é aberto para familiares de militares e há, ainda, seleção de vagas para a população em geral.

O desempenho dos alunos das escolas ligadas ao Exército, entre do 6º ao 9º ano do fundamental, no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é de 6,5. A nota é quase o dobro da média para os alunos da rede pública estadual do Rio Grande do Norte, que obtiveram média 3,3 na mesma avaliação.

No último dia 6 de maio, o presidente já havia anunciado o planejamento para construir escolas militares em todas as capitais do Brasil. A primeira a ser construída, de acordo com o presidente, será em São Paulo (SP).

Serrinha: MPRN recomenda realização de concurso para substituição de funcionários temporários

O prefeito de Serrinha, município distante 90 km de Natal, tem 30 dias para providenciar uma licitação para realização de concurso público para provimento dos cargos que atualmente estão ocupados por profissionais contratados temporariamente. Foi o que recomendou o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da Promotoria de Justiça de Santo Antônio, em ato publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (5).

O gestor também deve adotar todas as providências necessárias para o desligamento dos servidores eventualmente contratados sem a realização de qualquer espécie de processo seletivo, e a regular substituição por servidores efetivos e concursados.

O MPRN quer receber do gestor, no prazo máximo de 30 dias, informações circunstanciadas sobre as providências adotadas, sob pena de serem adotadas as medidas judiciais cabíveis em face da Administração Pública Municipal e dos agentes públicos envolvidos.

“Vejo com tristeza”, diz o deputado Tomba Farias ao criticar ausência de membros da bancada federal na reunião da Frente Municipalista

A ausência da maioria dos deputados federais e senadores do Rio Grande do Norte no evento realizado na manhã desta segunda-feira, na sede da Federação das Indústrias do RN, pela Frente Parlamentar Municipalista da Assembleia Legislativa do RN, foi duramente criticada pelo deputado estadual Tomba Farias (PSDB), parlamentar municipalista que ao discursar se disse “entristecido” pelo fato de a bancada federal do estado não ter comparecido em sua totalidade a reunião que congregou prefeitos e vereadores de todas as regiões do estado.

“Se estivéssemos em época de campanha estariam todos aqui. A hora de mostrar que estão ao lado dos prefeitos é agora. É preciso a soma de forças. Só conseguiremos êxito se mostrarmos união”, lamentou o deputado.

Ex-prefeito da cidade de Santa Cruz, o parlamentar disse que a data do encontro municipalista foi definida com antecedência, justamente como forma de viabilizar a agenda de deputados federais e senadores e garantir as suas presenças. “Vejo com muita tristeza a falta de muitos deles, pois quando chegam as eleições não falta nenhum deputado federal e senador nos nossos municípios. Os prefeitos não podem continuar a sofrer o que estão sofrendo. Não podemos continuar a pagar uma conta que não é nossa”, enfatizou.

Apesar da importante pauta discutida no encontro, os senadores Styvenson Valentim (REDE) e Jean Paul Prates (PT) não foram ao evento. O mesmo aconteceu com os deputados federais General Girão (PSL), Fábio Faria (PSD), João Maia (PR), Natália Bonavides (PT) e Benes Leocadio, este último justificadamente ausente por problemas de saúde.

Em sua fala, Tomba Farias defendeu com veemência o apoio da bancada federal para a prorrogação por mais dois anos dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores, conforme a PEC 56/2019, que prevê a unificação das eleições. “Não aguentamos mais tanta eleição de dois em dois anos”, disse.

Boa Saúde: MPRN emite recomendação para coibir trabalho infantil nas casas de farinha

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Tangará, editou recomendação para coibir o trabalho infantil nas casas de farinha situadas no Município de Boa Saúde, no Agreste Potiguar.

A recomendação foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (5) a partir da investigação de que crianças estariam frequentando e pelo menos uma delas trabalhando, além de um adolescente trabalhando, em casas de farinha situadas no Município de Boa Saúde, ambientes insalubres e onde se desenvolvem atividades perigosas.

Aos proprietários de casas de farinha, o MPRN recomendou que não permitam o acesso de crianças e adolescentes aos prédios onde estão instaladas, que advirtam os trabalhadores acerca desta proibição e fiscalizem para que a determinação seja cumprida.

O MPRN recomendou aos pais e responsáveis por crianças e adolescentes que impeçam o acesso de seus filhos que ainda não tenham atingido a maioridade aos prédios onde estão instaladas casas de farinha, mantendo vigilância sobre eles. As famílias também devem contribuir de maneira responsável e cordial com o trabalho desempenhado por todos os órgãos de defesa da criança e do adolescente que tenham interesse em acompanhar a situação de seus filhos.

Para visualizar a recomendação completa, clique aqui.

Ezequiel solicita melhorias em rodovias e no abastecimento de água em Nova cruz

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB) apresentou três requerimentos na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte com benefícios destinados a população de Nova Cruz e região. As solicitações são de melhorias no abastecimento de água do município e para a recuperação de rodovias. Com isso, Ezequiel Ferreira atende a pleito do atual prefeito Flávio Nogueira.

O primeiro requerimento é por um Plano Emergencial de Abastecimento de Água na cidade. O documento foi destinado a governadora Fátima Bezerra (PT) e as diretorias da Caern e da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. “Nova Cruz se encontra em colapso em relação ao abastecimento de água, uma vez que todos os reservatórios e açudes estão vazios e o exército suspendeu o abastecimento por carro-pipa. A população da zona rural do município é quem mais tem sofrido com esse cenário”, disse Ezequiel.

Outro requerimento é destinado a recuperação do trecho rodoviário da RN-269, que liga os municípios de Pedro Velho a Nova Cruz, inclusive passando no centro da cidade na rua Djalma Dutra. O documento foi endereçado a governadora Fátima Bezerra e ao diretor do Departamento de Estradas de Rodagens (DER), Manoel Marques. “A rodovia encontra-se esburacada em consequência da falta de manutenção nos últimos anos, ocasionando acidentes entre pedestres e condutores”, alerta o deputado.

“Em virtude da exagerada quantidade de buracos e do iminente risco de acidentes, os condutores de veículos e a população de modo geral têm enfrentado diariamente, grandes prejuízos e dificuldades ao trafegar pela RN-269, que tem grande relevância econômica e social”, completou Ezequiel na justificativa do requerimento.

Em outra solicitação, o deputado pede celeridade nas obras de construção da Ponte Sibaúma/Barra de Cunhaú e o asfaltamento das rodovias RN-003, além da RN-269, iniciando na Praia de Sibaúma, passando por Barra de Cunhaú e pelas cidades de Canguaretama, Pedro Velho, Montanhas e Nova Cruz.

“Espero que o Governo do Estado por meio do DER efetue o mais rápido possível a conclusão destas importantes obras de infraestrutura viária, com o objetivo de levar mais segurança a todos que utilizam estas importantes rodovias da região Agreste”, finalizou Ezequiel.

Junho marca o início do período seco no interior, destaca Emparn

O período seco no interior do Rio Grande do Norte – e, em grande parte do Nordeste – começa agora em junho, de acordo com a Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN). “O mês de junho, climatologicamente, marca o início do período sem chuvas nas regiões Oeste e Central do RN, isso por que a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), responsável pelas chuvas na região semiárida no período de fevereiro a maio, se afasta da região Nordeste. Ao mesmo tempo é o mês com maior índice pluviométrico no litoral leste do Estado”, diz o meteorologista Gilmar Bristot.

Para o setor leste do Estado, os sistemas meteorológicos causadores das chuvas entre os meses de abril a agosto, são as Instabilidades de Origem Oceânicas e Sistema de Brisa. Esses sistemas, segundo Bristot, “dependem das condições termodinâmicas do oceano Atlântico Sul, no que diz respeito ao posicionamento e intensidade do centro de Alta Pressão Atmosférica, pois é responsável pela intensificação e direção dos ventos que sopram na faixa litorânea leste, e pela formação das instabilidades de origem oceânicas”.

A atual configuração mostra que mesmo a ZCI, afastada da região, a sua posição tem causado a formação de subsidência sobre o Leste do Nordeste, dificultado a ocorrência de chuva regulares nas regiões Leste e Agreste do Estado. “Essa condição de pouca chuva deverá continuar durante todo a primeira quinzena de junho de 2019, devendo melhorar durante a segunda quinzena”, pontuou Bristot.

Presos do complexo penitenciário de Alcaçuz fazem motim

Em janeiro de 2017, presos do pavilhão 5 invadiram o pavilhão 4 e 26 detentos foram mortos — Foto: Nacho Doce/Reuters

G1/RN.

Presos do Complexo Penal de Alcaçuz, maior unidade penitenciária do Rio Grande do Norte, fizeram um motim na manhã desta quarta-feira (5). Segundo a Secretaria de Segurança e da Defesa Social (Sesed), o tumulto aconteceu em uma das alas do pavilhão 5 da unidade, como é mais conhecido o Presídio Rogério Coutinho Madruga, anexo de Alcaçuz. Não há a confirmação de feridos.

É no pavilhão 5 onde estão encarcerados membros de facção criminosa Primeiro Comando da Capital, o PCC. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, na Grande Natal.

O helicóptero Fênix 03, que pertence à Secretaria de Segurança Pública do Ceará, sobrevoou a penitenciária. A aeronave está emprestada ao governo do RN enquanto o helicóptero Potiguar 1 está em manutenção.

A segurança externa do presídio também foi reforçada.

Polícia Civil deflagra Operação “Todos por um” e prende suspeitos de envolvimento em latrocínio na Grande Natal do policial civil André Severiano

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) em conjunto com a Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (05), a Operação “Todos por um”, que resultou no cumprimento de três mandados de prisão temporária contra três suspeitos pelo latrocínio do agente de polícia civil André Severiano, morto no dia 30 de abril, no bairro Emaús, em Parnamirim. O nome da Operação “Todos por um” é relativo ao esforço conjunto de várias delegacias da Polícia Civil, que conseguiu elucidar o crime. Durante a ação, também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão.

A investigação revelou que o policial civil foi morto por um grupo formado por quatro homens, que pretendia cometer um roubo. Participaram da ação criminosa, Gabriel Fernando dos Santos, conhecido “Biel”, 19 anos, Aylton Bezerra da Silva Júnior, conhecido como “Carneirinho”, 25 anos, João Lucas Severo de Souza e Silva, 21 anos e Ruan Carlos Pereira, “Maquinista”, 21 anos (falecido).

Na manhã desta quarta-feira foram cumpridos mandados de prisão contra Gabriel Fernando e Aylton Bezerra da Silva Júnior, que já estavam detidos no sistema prisional. Os policiais civis prenderam João Lucas Severo de Souza e Silva, 21 anos, em cumprimento a um mandado de prisão temporária, quando estava em uma residência do bairro Potengi, Zona Norte de Natal. Ele é apontado como o homem responsável pela locação do veículo usado no dia do crime e que também estava presente no momento do crime.

“Nós descobrimos que o policial civil André Severiano parou no local para manusear o telefone celular, quando foi surpreendido pelos quatro suspeitos que estavam em veículo Fiat Uno Vivace, cor vermelha. O grupo desembarcou com o intuito de assaltar o policial civil, porém, diante da reação do policial, efetuaram os disparos que lhe causaram o óbito. A investigação aponta que os suspeitos eram assaltantes contumazes e, naquela data, pretendiam praticar um assalto na cidade de Macaíba, mas por terem avistado uma viatura da Polícia Militar, desistiram e, quando voltavam para Natal, passaram pelo veículo do policial civil André e resolveram abordá-lo”, detalhou a delegada Taís Aires da DHPP, responsável pela investigação.

Gabriel Fernando dos Santos, conhecido “Biel”, 19 anos, já havia sido preso em flagrante por porte e posse ilegal de arma de fogo, no dia 02 de maio, pela equipe da 7a. Delegacia de Polícia Civil de Natal. Aylton Bezerra da Silva Júnior, conhecido como “Carneirinho”, 25 anos, era o motorista do veículo e já se encontrava preso por crime de roubo praticado na cidade de Macaíba. No dia 23 de maio, os policiais civis da DHPP e Deicor cumpriram um mandado de busca e apreensão contra Ruan Carlos Pereira, conhecido como “Maquinista”, 21 anos e conseguiram apreender a pistola da Polícia Civil que estava cautelada ao policial civil André Severiano. Durante esta ação, “Maquinista” resistiu à abordagem dos policias e morreu.

“Nós tivemos êxito nesta investigação devido ao trabalho integrado com muitas delegacias, entre elas, Deicor, 2a. Delegacia de Polícia Civil de Parnamirim, Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc), 7a e 13a Delegacia de Polícia de Natal. Também registramos a importante parceria com a 2ª Vara Criminal de Parnamirim e com a 12ª Promotoria de Justiça”, destacou a delegada Taís Aires.

A Polícia Civil solicita que as vítimas de roubo praticadas pelos suspeitos que ocupavam o Uno Vivace e que reconheçam os mesmos procurem as delegacias respectivas ou a DHPP. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Ipea: homicídios de mulheres cresceram acima da média nacional

Agência Brasil.

A edição do Atlas da Violência deste ano mostra que a taxa de homicídio de mulheres cresceu acima da média nacional em 2017. O estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revela que, enquanto a taxa geral de homicídios no país aumentou 4,2% na comparação 2017-2016, a taxa que conta apenas as mortes de mulheres cresceu 5,4%. Apesar disso, o indicador continua bem abaixo do índice geral (31,6 casos a cada 100 mil habitantes), com 4,7 casos de mortes de mulheres para cada grupo de 100 mil habitantes. Ainda assim, é a maior taxa desde 2007.

Em 28,5% dos homicídios de mulheres, as mortes foram dentro de casa, o que o Ipea relaciona a possíveis casos de feminicídio e violência doméstica. Entre 2012 e 2017, o instituto aponta que a taxa de homicídios de mulheres fora da residência caiu 3,3%, enquanto a dos crimes cometidos dentro das residências aumentou 17,1%. Já entre 2007 e 2017, destaca-se ainda a taxa de homicídios de mulheres por arma de fogo dentro das residências que aumentou em 29,8%.

O Ipea mostra ainda que a taxa de homicídios de mulheres negras é maior e cresce mais que a das mulheres não negras. Entre 2007 e 2017, a taxa para as negras cresceu 29,9%, enquanto a das não negras aumentou 1,6%. Com essa variação, a taxa de homicídios de mulheres negras chegou a 5,6 para cada 100 mil, enquanto a de mulheres não negras terminou 2017 em 3,2 por 100 mil.

“A gente tem o crescimento da violência contra a mulher e todas estão sendo atingidas, mas as mulheres negras estão sendo atingidas com uma força muito maior”, disse Samira Bueno, diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Negros
De cada quatro pessoas assassinadas no Brasil em 2017, três eram negras, segundo os dados do Ipea. A taxa de homicídios para esse grupo da população chegou a 43,1 para 100 mil habitantes, enquanto a dos não negros fechou o ano em 16 por 100 mil.

O Instituto aponta que houve uma piora na desigualdade racial nesse aspecto entre 2007 e 2017, já que a taxa cresceu 33,1% para os negros e 3,3% para os não negros. Apenas entre 2016 e 2017, a taxa de homicídios de negros no Brasil cresceu 7,2%.

Em números absolutos, o país registrou 49.524 assassinatos de negros em 2017, um aumento de 62,3% em relação a 2007 e de 9,1% ante 2016. Quando são analisados os não negros, os números absolutos tiveram queda de 0,8% em relação a 2016 e alta de 0,4% perante 2007, fechando 2017 em 14.734 mortes.

O coordenador da pesquisa, Daniel Cerqueira, chamou a atenção para o fato de que a desigualdade de crimes sofridos entre negros e não negros está aumentando.

“A gente tem no Brasil uma desigualdade na letalidade por raça que é escandalosa”, disse ele, afirmando que esse dado não chega a ser novo. “E essa boca [distância entre os números de homicídios no gráfico] continua se alargando”.

LGBTI+
O Ipea incluiu pela primeira vez no atlas a violência contra a população de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis e intersexuais. A avaliação é de que a situação tem se agravado e que a população sofre de invisibilidade na produção oficial de dados e estatísticas. Para o estudo, foram usados dados das denúncias registradas no Disque 100 e de registros administrativos do Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde.

“Existe um verdadeiro apagão estatístico no Brasil sobre violência contra a população LGBTI”, disse Daniel Cerqueira.

O número de homicídios denunciados ao Disque 100 subiu de 5 em 2011 para 193 em 2017. Já as lesões corporais aumentaram de 318 em 2016 para 423 em 2017, passando por um pico de 783 casos em 2012.

Para o Ipea, o aumento não se deve apenas à maior divulgação do Disque 100, porque não foi verificado comportamento semelhante nos dados de outras minorias que buscaram o serviço, como idosos, moradores de em situação de rua e crianças e adolescentes.

Já os dados do Ministério da Saúde apontam que entre 2015 e 2016 aumentou o número de episódios de violência física, psicológica, tortura e outras violências contra bissexuais e homossexuais, sendo a maioria das vítimas solteiras e do sexo feminino. Já em relação aos autores das violências, 70% eram do sexo masculino. Ao todo, foram notificadas 5.930 situações de violência contra a população LGBTI+.

Perfil das vítimas
Outro dado sobre as vítimas de homicídio que consta no Atlas é o nível de escolaridade. Segundo o Ipea, 74,6% dos homens e 66,8% das mulheres assassinadas entre 2007 e 2017 tinham até sete anos de estudo.

A pesquisa também mostra que 68,2% dos homens foram mortos em ruas ou estradas, enquanto 15,9% foram assassinados em suas residências entre 2007 e 2017. No caso das mulheres, 44,7% morreram na rua/estrada e 39,2% foram mortas em casa.

Os meses do ano com mais homicídios são dezembro, janeiro e março, enquanto junho e julho têm o menor número de registros. Em relação aos dias da semana, de acordo com o estudo, o sábado requer maior atenção ao policiamento preventivo.

Para os homens, é mais provável a ocorrência de homicídios entre 18h e 2h da manhã, enquanto para mulheres os casos se distribuem de forma mais uniforme ao longo do dia.

Armamento
O Ipea se debruçou sobre o número de homicídios cometidos com armas de fogo no Brasil entre 1980 e 2017, traçando dois cenários alternativos a partir de 2003, ano em que foi aprovado o Estatuto do Desarmamento.

O instituto aponta que a taxa de homicídios por armas de fogo crescia em média 5,44% ao ano nos 14 anos anteriores à aprovação do estatuto, e esse ritmo caiu para 0,85% no período entre 2003 e 2017.

A partir disso, o Ipea estimou que, se o ritmo de crescimento tivesse continuado semelhante ao dos 14 anos anteriores ao estatuto, o número de homicídios cometidos com armas de fogo teria chegado perto de 90 mil em 2017, um patamar superior aos 47.510 que foram registrados naquele ano.