Bolsonaro testa positivo para Covid-19, afirma jornalista

 

Bolsonaro sanciona auxílio de R$ 600 para os artistas informais ...

AGORA RN.

O presidente da República Jair Bolsonaro testou positivo nesta segunda-feira (6) para coronavírus. A informação é do jornalista Claudio Humberto para o programa Repórter Bandeirantes. De acordo com o jornalista, nesta terça-feira (7) será apresentada a contraprova do teste de Covid-19 de Bolsonaro.

Bolsonaro, que completou 65 anos em março, disse na noite desta segunda (6) à CNN que está com 38°C de febre e 96% de taxa de oxigenação no sangue, e contou que está tomando hidroxicloroquina. Por causa dos sintomas, a agenda do presidente para o restante da semana está cancelada.

À CNN, o presidente disse que já fez um teste para Covid-19 no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, e que o resultado do exame deve sair por volta do meio-dia desta terça-feira (7).

Bolsonaro também informou à CNN que fez também uma ressonância magnética dos pulmões. De acordo com o presidente, este exame não identificou problemas.

CBF afirma que Brasileiro começa no dia 9 de agosto

Campeonato brasileiro

Agência Brasil.

Horas após o governador de São Paulo, João Doria, afirmar, nesta segunda (6), que os clubes de futebol de seu estado não poderão iniciar a participação no Campeonato Brasileiro antes do término do Campeonato Paulista, a Confederação Brasileira de Futebol divulgou nota na qual diz que o começo do Brasileirão será em 9 de agosto.

“A respeito da declaração do governador de São Paulo, João Doria, em coletiva nesta segunda-feira, 6, sobre o Campeonato Brasileiro, a CBF afirma que: 1 – Os clubes de São Paulo aprovaram, em reunião no dia 25 de junho, com a presença dos 40 clubes das Séries A e B, as datas de 9 de agosto para o início da Série A do Campeonato Brasileiro e 8 de agosto para início da Série B. 2 – Para preservar estas datas, os clubes concordaram em jogar fora de seus domínios, transferindo o seu mando de campo para outra cidade ou estado caso o seu local de jogo não esteja liberado nas datas de início das competições. Essa decisão foi tomada em votação que contou com o apoio de 19 clubes da Série A, incluindo todos os de São Paulo. 3 – Os clubes de São Paulo disputantes do Campeonato Brasileiro da Série A reafirmaram sua posição em contato com a CBF, nesta segunda-feira, 6. A CBF e a Federação Paulista de Futebol [FPF] estão em permanente sintonia em relação aos temas de interesse do futebol brasileiro”, diz a nota.

Doria expressou sua posição um dia após a publicação de entrevista do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, ao jornal O Globo, na qual ele confirma a abertura das Séries A, B e C do torneio nacional para os dias 8 e 9 de agosto.

“Temos três rodadas para concluir o campeonato [na verdade, duas para finalizar a primeira fase, tendo ainda o mata-mata pela frente]. Sem concluir [o Estadual], os times de São Paulo não podem participar do Brasileiro. Estamos levando isso em conta, os aspectos de saúde e o protocolo assinado com a Federação Paulista de Futebol [FPF]. E esta, por sua vez, com as equipes da primeira divisão [Série A1]”, afirmou Doria, em entrevista coletiva. “Sobre a decisão da CBF de voltar no dia 9, não houve consulta prévia ao governo do estado de São Paulo”, completou.

Ainda não há uma data oficial para reinício do Paulistão, suspenso após a 10ª rodada da primeira fase. Na última sexta (3), o secretário de esportes do estado de São Paulo, Aildo Ferreira, disse que a realização de eventos esportivos poderá ser autorizada a partir de 27 de julho nas regiões que passarem, ao menos, quatro semanas na terceira de cinco fases do plano de reabertura das atividades no estado. Ou seja, onde a pandemia do novo coronavírus (covid-19) estaria mais controlada.

Brasil tem 65,4 mil mortes causadas pela covid-19

exame coronavirus COVID-19

Agência Brasil.

O Brasil chegou a 65.487 mortes em decorrência da covid-19. Foram registradas mais 620 mortes nas últimas 24 horas, conforme atualização do Ministério da Saúde divulgada nesta segunda-feira (6). Ontem (5), o balanço informava a ocorrência de 64.867 mortes em função da pandemia. 

Pelas estatísticas do Ministério da Saúde, foram identificados mais 20.229 casos da doença. Com isso, o número total de pessoas infectadas chegou a 1.623.284. Ontem, o painel do Ministério da Saúde mostrava 1.603.555 casos confirmados.Do total de infectados até o momento, 927.292 já se recuperaram e 630.505 mil pacientes ainda estão em acompanhamento.

Os números diários do balanço do Ministério da Saúde em geral são menores aos domingos e segundas-feiras pelas restrições nas equipes que fazem contagem de dados nas secretarias municipais e estaduais, e maiores às terças-feiras, quando há aumento de registros em razão do acúmulo do que não foi encaminhado no fim de semana.

Regiões

A região com maior número de mortes por covid-19 é o Sudeste, com 29.900. O Nordeste registra 21.235 óbitos; o Norte, 10.039; o Centro-Oeste, 2.328; e o Sul, 1.985.

Os estados com mais mortes em função da pandemia são São Paulo (16.134), Rio de Janeiro (10.698), Ceará (6.481), Pará (5.105) e Pernambuco (5.163). As unidades da Federação com menos óbitos são Mato Grosso do Sul (122), Tocantins (224), Roraima (371), Acre (394) e Santa Catarina (406).

Presidente Jair Bolsonaro está com sintomas da Covid-19 e cancela agenda da semana

CNN BRASIL.

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta segunda-feira (6) à CNN que está com sintomas de Covid-19.

Bolsonaro, que completou 65 anos em março, disse que está com 38°C de febre e 96% de taxa de oxigenação no sangue, e contou que está tomando hidroxicloroquina. Por causa dos sintomas, a agenda do presidente para o restante da semana está cancelada.

O presidente já fez um teste para Covid-19 no Hospital das Forças Armadas, em Brasília. O resultado do exame deve sair por volta do meio-dia desta terça-feira (7).

Bolsonaro também informou que fez também uma ressonância magnética dos pulmões. De acordo com o presidente, este exame não identificou problemas.

Brasil tem 1.603.055 casos de covid-19 diagnosticados

Um profissional de saúde mostra um teste para a doença de coronavírus (COVID-19), na Bela Vista do Jaraqui, na Unidade de Conservação Puranga Conquista, às margens do rio Negro, onde vivem Ribeirinhos (habitantes da floresta), em meio à doença

Boletim divulgado hoje (5) pelo Ministério da Saúde, registra que até o momento o Brasil tem 1.603.055 casos da covid-19. Desses, 64.867 casos resultaram em óbito, sendo 602 registrados nas últimas 24 horas. O número de pessoas recuperadas soma 906.286, o equivalente a 56,5% dos infectados.

São Paulo continua com o maior número de casos, 320.179; seguido pelo Ceará com 121.464, e pelo Rio de Janeiro, com 121.292. Em número de mortes, no entanto, o Rio de Janeiro, com 10.667, ultrapassa o Ceará, que teve 6.441 óbitos até o momento. Também nesse quesito, São Paulo registra o maior número, com 16.078 mortes.

Entre os estados com menos registros, o Mato Grosso do Sul é o de menor incidência, com 10.089 casos e 117 mortes. Tocantins, com 12.475 casos e 220 mortes, vem em seguida.

Apesar dos números nacionais, algumas cidades estudam a volta gradual da rotina. Na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas assinou os protocolos para reabertura dos setores de bares, restaurantes, estética e beleza na cidade.

No Rio de Janeiro, a reabertura de bares levou muita gente para a rua durante o primeiro dia de liberação. Na sexta-feira (3), após medidas punitivas, os estabelecimentos da cidade tomaram atitudes para diminuir as aglomerações.

No Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha assinou decreto com o calendário de abertura de bares e escolas. O DF registra, até o momento, 57.854 casos diagnosticados e 699 mortes.

Fiocruz cria ferramenta para diagnosticar a Covid-19 pelo som da tosse

Jovem Pan

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o governo de SP, está desenvolvendo um sistema para diagnosticar a Covid-19 por meio do som da tosse dos pacientes. O projeto, que se encontra na primeira etapa, pretende auxiliar a população a definir quando é necessário procurar atendimento médico.

O infectologista e pesquisador da Fiocruz Julio Croda explicou que a iniciativa, por enquanto, “ainda é um projeto”. Segundo ele, na primeira etapa de desenvolvimento, nos próximos 30 dias, serão coletados sons de 900 tosses, sendo 300 de infectados com coronavírus, 300 de pacientes com outras doenças e 300 de pessoas sem doenças respiratórias. A partir disso, na segunda etapa, a Intel usará inteligência artificial para determinar “padrões sonoros que identifique a Covid-19 e outras doenças”.

“Após a etapa da coleta para validação da inteligência artificial, vamos oferecer a ferramenta para o governo, estados e municípios. Com acurácia superior a 93%, o paciente poderá ter um score [indicador de saúde do paciente] e, pela avaliação, determinar se tem uma grande chance de ter a Covid-19. Esperamos ajudar no isolamento social e na procura de ajuda médica.”

Julio Croda afirmou que não haverá custos para os estados, municípios e para o próprio governo federal, caso queiram disponibilizar a ferramenta para a população.

“A gente está trabalhando com diagnóstico presuntivo, a ferramenta pode ser usada para levar assistência médica. Se eu fiz no teste no aplicativo e deu probabilidade elevada, eu posso procurar um médico, que pode pedir exames mais específicos e realmente certificar se tenho a doença. Queremos oferecer a ferramenta gratuitamente, dessa forma a gente dá acesso a esse diagnóstico para auxiliar se aquela tosse é Covid-19.”

Coronavírus: Brasil registra 876.359 pacientes curados do coronavírus

O Ministério da Saúde registrou, neste sábado (4/7), o total de 876.359 pessoas curadas do coronavírus em todo o país.

A quantidade é superior ao número de casos ativos (636.380), que são pacientes em acompanhamento médico.

Foram registrados nas últimas 24 horas, mais 7.543 pessoas recuperadas do coronavírus.

O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (55,6%).

Brasil tem 1.577.004 casos de covid-19 diagnosticados

O boletim diário do Ministério da Saúde revela os números deste sábado (04).

Agência Brasil.

Segundo o boletim divulgado no final da tarde de hoje (04) pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou até o momento 1.577.004 casos de covid-19. Destes, 64.265 casos resultaram em óbito – 1.091 registrados nas últimas 24 horas. O número de pessoas recuperadas é de 876.359.

Entre os estados, São Paulo continua com o maior número de casos até agora, 312.530; seguido pelo Ceará (120.952) e Rio de Janeiro (120.440). Em número de mortes, no entanto, o Rio de Janeiro, com 10.624, ultrapassa o Ceará, que teve 6.411 óbitos até o momento. Também nesse quesito, São Paulo registra o maior número, com 15.996 mortes.

Entre os estados com menos registros, o Mato Grosso do Sul é a área de menor incidência, com 9.910 casos e 114 mortes. Tocantins, com 12.282 casos e 215 mortes, vem em seguida.

Apesar dos números nacionais, algumas cidades estudam a volta gradual da rotina. Na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas assinou os protocolos para reabertura dos setores de bares, restaurantes, estética e beleza na cidade.

No Rio de Janeiro, a reabertura de bares levou muita gente para a rua durante o primeiro dia de liberação. Ontem (03), após medidas punitivas, os estabelecimentos da cidade tomaram atitudes para diminuir as aglomerações. Já no Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha assinou decreto com o calendário de abertura de bares e escolas. O DF registra, até o momento, 55.760 casos diagnosticados e 671 mortes.

Brasil registra 868.372 pessoas recuperadas da Covid-19

O Ministério da Saúde registrou, nesta sexta-feira (3/7), o total de 868.372 pessoas curadas do coronavírus em todo o país.

A quantidade é superior ao número de casos ativos (607.535), que são pacientes em acompanhamento médico.

Foram mais 15.556 pacientes recuperados registrados em relação ao boletim divulgado na quinta-feira (2).

O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (56,4%).

Brasil passa da marca de 1,5 milhão de casos confirmados de covid-19

Boletim epidemiológico covid-19

Agência Brasil.

O Brasil bateu a marca de 1,5 milhão de casos confirmados acumulados desde o início da pandemia de covid-19. O número foi divulgado na atualização diária do Ministério da Saúde. Com 42.223 novos casos, o total hoje (3) chegou a 1.539.081, um aumento de 2,8% em relação a ontem(2), quando eram contabilizados 1.496.858 casos.

O balanço também registrou 1.290 novas mortes nas últimas 24 horas, chegando ao total de 63.174. O aumento no número de mortes cresceu 3,7% em relação a ontem, quando o painel do Ministério da Saúde trazia 61.884 óbitos.

Do total de infectados até o momento, 868.372 já se recuperaram e 607.535 pacientes estão em acompanhamento. Ainda há 3.968 mortes em investigação.

Estados

São Paulo é o estado com o maior número de mortes em função da pandemia de covid-19 com 15.694 óbitos, seguido por Rio de Janeiro (10.500), Ceará (6.351), Pernambuco (5.068), Pará (5.050). As Unidades da Federação com menos óbitos são Mato Grosso do Sul (107), Tocantins (211), Roraima (358), Santa Catarina (376) e Acre (387).

Brasil supera marca de 850 mil pessoas recuperadas do coronavírus

O Ministério da Saúde registrou, nesta quinta-feira (2/7), o total de 852.816 pessoas curadas do coronavírus em todo o país.

A quantidade é superior ao número de casos ativos (582.158), que são pacientes em acompanhamento médico.

Nas últimas 24 horas, foram registrados 26.755 pacientes curados da Covid-19.

O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (57%).

Pandemia vai afetar todas as áreas da educação no país, diz Inep

Agência Brasil.

A crise gerada pela pandemia do coronavírus deverá atingir todas as áreas da educação, mas ainda é cedo para saber quais serão seus impactos. A constatação foi feita nesta quinta-feira (2) pelo pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Gustavo Henrique Moraes, durante apresentação do relatório do 3º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação/2020.

O impacto financeiro da crise no Ministério da Educação (MEC) também foi admitido. “O MEC se enfraquece um pouco diante da questão fiscal que o Brasil vive”, disse o presidente do Inep, Alexandre Lopes.

Metas

O PNE, como é conhecido, tem 20 metas que devem ser cumpridas 100% em um prazo de 10 anos, de 2014 a 2024. O relatório – que abrange os últimos dados de 2018 e 2019 – divulgado hoje aponta que dos 57 indicadores, apenas 13,4% tiveram a meta atingida.

“Percebe-se que 42 indicadores têm nível de alcance maior do que 50%, 26 indicadores têm nível maior do que 80% e 6 indicadores já chegaram à meta estabelecida. O nível médio de alcance está em 75%. Reconhecer esses números é rejeitar a compreensão simplista que afirma que ‘tudo vai mal na educação brasileira’; é reconhecer o esforço coletivo dos profissionais da educação que, mesmo que enfrentem adversidades, apostam na escola como o local da esperança e da transformação nacional”, ressalta o documento.

Os dados apresentados mostram ainda que apenas 31 de 37 indicadores usados no plano tiveram nível de execução inferior a 60%, mas 21% dos indicadores retrocederam. Sobre o desempenho do Plano, o presidente do Inep disse que, sozinho, o MEC não conseguirá executar todas as 20 metas do PNE até 2024 e lembrou a importância do envolvimento dos estados, municípios, universidades, institutos federais no cumprimento dos objetivos.

Adultos

O pior resultado do relatório diz respeito à meta que estipula que pelo menos 25% das matrículas na educação de jovens e adultos seja integrada à educação profissional. “Aqui está nosso pior indicador: apenas 1,6% de matrículas de jovens adultos estão integradas à educação profissional”, destacou Gustavo Moraes.

*matéria atualizada às 20h31 para correção de informações. Ao contrário do informado, são 42 indicadores com índices maior que 50% e não 41 indicadores. 

Covid-19: país tem 61,8 mil mortes e 1,49 milhão de casos confirmados

Hospital de Campanha de São Gonçalo é inaugurado

Agência Brasil.

O Brasil tem 1.496.858 casos confirmados de covid-19 e 61.884 mortes pela doença, segundo os dados mais recentes do Ministério da Saúde, divulgados nesta quinta-feira (2). Com isso, o país se aproxima de 1,5 milhão de pessoas infectadas. Nas últimas 24 horas, 1.252 óbitos e 48.195 casos confirmados foram agregados às estatísticas.

Do total de infectados até o momento, 852.816 pessoas se recuperaram da doença e 582.158 mil pacientes ainda estão em acompanhamento. Há ainda 3.931 mortes em investigação.

Ontem (1º), o balanço do Ministério da Saúde trazia 60.632 falecimentos e 1.488.753 casos confirmados; sendo que de terça-feira (31) para quarta-feira, foram agregados 1.038 óbitos e 46.712 novos casos.

A taxa de letalidade da doença (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4,1%, enquanto a de mortalidade (número de óbitos por 100 mil habitantes) ficou em 29,4. A incidência (quantidade de casos pela população) está em 712,3.

Estados e municípios

Os estados com mais mortes são São Paulo (15.351), Rio de Janeiro (10.332), Ceará (6.284), Pará (5.004) e Pernambuco (4.968). As unidades da Federação com menos óbitos são Mato Grosso do Sul (91), Tocantins (209), Roraima (354), Santa Catarina (362) e Acre (378).

Cristo Redentor recebe iluminação em homenagem às vítimas do coronavírus

Portal UOL.

O Cristo Redentor foi cenário de uma missa em homenagem às vítimas da covid-19 nesta quarta-feira, 1º de julho. O cardeal arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, realizou uma cerimônia religiosa, que foi transmitida pelo Youtube e Facebook.

A missa contou ainda com uma mensagem do Papa Francisco e com uma projeção especial no Cristo Redentor com a frase: “Não existe ninguém de quem alguém não sentirá falta”.

A cantora Alcione também fez uma apresentação no encerramento. A cerimônia está sendo organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Cáritas Brasileira. A intenção é homenagear as vítimas da pandemia e fazer um agradecimento especial aos profissionais da saúde.

Brasil registra 826.866 pacientes recuperados da Covid-19

O Ministério da Saúde registrou, nesta quarta-feira (1/7), o total de 826.866 pessoas curadas do coronavírus em todo o país.

A quantidade é superior ao número de casos ativos (561.255), que são pacientes em acompanhamento médico.

Nas últimas 24 horas, o país registrou mais 36.826 pacientes recuperados da Covid-19.

O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (57,1%).

Adiamento das eleições municipais para novembro é aprovado na Câmara

Ordem do dia para votação de propostas. Presidente da Câmara dos Deputados, dep. Rodrigo Maia

Informações da Agência Brasil.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (1º), em dois turnos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que adia em seis semanas as eleições municipais deste ano em razão da pandemia de covid-19. A matéria deve ser promulgada em sessão do Congresso Nacional nesta quinta-feira (2), às 10h. 

Dessa forma, o primeiro turno das eleições municipais será adiado de 4 de outubro para o dia 15 de novembro. A data do segundo turno passa para o dia 29 de novembro.

“Aprovada na @camaradeputados  PEC que adia as eleições municipais para novembro. Amanhã (2), às 10h, o Congresso promulgará a emenda constitucional. Mais uma vez, o entendimento prevaleceu no Parlamento, dialogando com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a comunidade científica, prefeitos e vereadores”, postou o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre, em sua conta pessoal no Twitter.

Brasil chega a 60 mil mortes por covid-19

O chefe do médico da UTI, Everton Padilha Gomes, examina uma radiografia de tórax de um paciente em um hospital de campo criado para tratar pacientes que sofrem da doença por coronavírus (COVID-19) em Guarulhos, São Paulo

Agência Brasil.

Até o momento, 60.632 pessoas morreram em decorrência da pandemia do novo coronavírus no Brasil, segundo atualização diária do Ministério da Saúde divulgada nesta quarta-feira (1º). Nas últimas 24 horas, 1.038 pessoas perderam a vida por conta da covid-19. Ainda há 3.931 óbitos em investigação.

Contudo, na avaliação do Ministério da Saúde, o país atingiu um platô, quando a curva do número de mortes entra em um momento de estabilização. Nas últimas semanas, o total de novos óbitos vêm oscilando.

Ainda de acordo com o balanço do Ministério da Saúde, foram registrados 46.712 novos casos confirmados da doença. Com isso, o total de casos acumulados de covid-19 subiu para 1.488.753. Diferentemente da curva de mortes, na evolução dos números de pessoas infectadas o Brasil segue subindo.

Dados do Ministério da Saúde mostram que 561.255 pacientes estão em observação, enquanto o total de recuperados desde o início da pandemia é de 826.866.

Boletim epidemiológico covid-19

Brasil registra 757.462 pessoas curadas da Covid-19

O Ministério da Saúde registrou nesta segunda-feira (29) o total de 757.462 pessoas curadas do coronavírus em todo o Brasil.

Nas últimas 24 horas o ministério contabilizou 23.614 pacientes recuperados do coronavírus.

O número é superior à quantidade de casos ativos no país (552.419), que são pacientes em acompanhamento médico.

Atualmente, o registro dos curados já representa mais da metade do total de casos acumulados (55,4%).

Farmacêutica que pesquisa vacina com Oxford diz esperar primeiros resultados de estudos já em outubro

Folha.

A vacina em desenvolvimento pela Universidade de Oxford e a farmacêutica britânica Astrazeneca deve ter resultados preliminares da última etapa de estudos entre outubro e novembro desse ano, disse nesta segunda-feira (29) a diretora-médica da empresa no Brasil, Maria Augusta Bernardini.

“O estudo de fase 3 [quando são feitos ensaios clínicos em humanos] tem duração total de um ano, e voluntários serão acompanhados por um ano. Mas ao redor de outubro e novembro esperamos ter resultados preliminares [de eficácia]”, afirma.

Segundo ela, caso os resultados forem significativos, a empresa pretende solicitar a agências reguladoras uma autorização de registro em caráter excepcional para permitir que a vacina comece a ser disponibilizada.

Bernardini ressalta, porém, que a previsão pode mudar conforme a evolução da pandemia. A informação ocorreu em videoconferência com a embaixada britânica no Brasil.

Segundo Marco Krieger, vice-presidente de inovações da Fiocruz, caso os estudos tenham os primeiros resultados até outubro, o Brasil poderia ter a vacina já no início do primeiro semestre de 2021.

A previsão considera um prazo de quatro meses até a importação dos insumos, obtenção de registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e início da distribuição. “Acreditamos que, no Brasil, ainda no primeiro semestre do ano que vem podemos ter a vacina. Vamos tentar acelerar ao máximo, mas com toda segurança”, diz Krieger.

Ministério da Saúde entrega mais de 6 mil ventiladores pulmonares

exame coronavirus COVID-19

Agência Brasil.

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse hoje (29), durante entrevista no Palácio do Planalto, que já foram entregues 6.410 ventiladores pulmonares. Nos últimos sete dias, foram distribuídos 1.553. Os estados que mais receberam o equipamento até agora foram Rio de Janeiro (814), São Paulo (766), Pará (406), Minas Gerais (389) e Bahia (306).

Foram disponibilizadas 4,37 milhões de unidades de cloroquina. Os estados destinatários das maiores quantidades de comprimidos foram São Paulo (489 mil), Pará (439 mil), Alagoas (412 mil), Amazonas (371 mil) e Ceará (302 mil).

Segundo o Ministério da Saúde, foram encaminhados até agora 115,7 milhões de equipamentos de proteção individual (EPIs). Deste total, foram repassados às secretarias estaduais de saúde 54,7 milhões de máscaras cirúrgicas, 36,8 milhões de luvas cirúrgicas, 15,6 milhões de toucas, 3,4 milhões de máscaras N95, 2,9 milhões de aventais, 1,2 milhão de protetores faciais e 554 mil recipientes de álcool em gel.

Em termos de recursos, de acordo com a pasta, até o momento, foram destinados aos estados e municípios R$ 9,7 bilhões para ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.